Algumas palavras...

"O Céu é um grande livro, aberto, pelo amor de Deus, à inteligência do homem." Dr. Serge Raynaud de La Ferriè

segunda-feira, 21 de março de 2011

OS ELEMENTOS DE FORMA PRÁTICA

(Fragmentos do Livro “O Espelho da Lua”; Maria Helena Nóvoa)


A Física nos ensina:


- A quantidade de energia no Universo é constante
- Energia não pode ser criada nem destruída
- Energia pode ser transformada
- Matéria pode se converter em energia e energia em matéria.


Na Natureza, existem quatro fontes primordiais de energia: o Fogo, o Ar, a Água e a Terra. Magia é a Alquimia que podemos fazer com estas quatro formas de energia.


Se a quantidade de energia no Universo é constante e não pode ser criada, temos que retirá-la de algum lugar se quisermos continuar vivos. É o que todo mundo faz. Mas aprendemos também que ela pode ser transformada; isto é o que a Magia procura: a transformação das próprias energias, sem ter que disputá-las com ninguém.



Todas as pessoas que estão no mundo, lutando por sua parcela de felicidade, vão batalhar a vida levando apenas quatro armas: seu Fogo, seu Ar, sua Água e sua Terra.


Duas dessas energias são ativas – São as energias que agem. (Fogo e Ar)

Duas são reativas ou receptivas – são as energias que reagem e recebem. (Água e Terra)


O Fogo e o Ar fazem parte do eixo ativo: mostram de que maneira vamos atuar no mundo – ou impulsiva ou racionalmente. São as Energias do Caminho.


A Água e a Terra fazem parte do eixo receptivo: mostram de que maneira vamos reagir ao mundo e receber o que ele nos dá – ou emocional ou sensatamente. São as Energias do Destino.


As duas energias do eixo ativo e as duas energias do eixo receptivo se excluem mutuamente: Não podemos ser ao mesmo tempo racionais e impulsivos, como não podemos ser emocionais e sensatos.


Vamos saber usar bem uma Energia do Caminho: o impulso (vontade, intuição) ou a inteligência. E uma Energia do Destino: a emoção ou a sensatez. Não vamos saber usar bem as quatro armas; ninguém nasce pronto.


Podemos fazer o Caminho do Fogo ou o Caminho do Ar.


O Fogo é o Caminho do Guerreiro: Quando fazemos este caminho, a vida passa a ser uma batalha e o importante é ganhar, como em todas as batalhas. Se caminhamos pelo Ar, fazemos o Caminho do Sábio: não há vitórias nem derrotas, o que existe é sabedoria ou ignorância. O importante é compreender.


Buscamos uma das duas fontes primordiais de energia que nos dão prazeres e compensações: a Terra ou a Água, o corpo ou a alma, o poder ou a criatividade. São nosso Destino. Todas as nossas ações têm como meta o sucesso e a plenitude ou no plano material (o poder) ou no plano emocional (a criatividade).


Manipulamos estas energias todos os dias, mas mão pensamos muito nisso: se somos Filhos da Terra temos que trabalhar duro porque nada é fácil para nós; se somos Filhos da Água, vamos estar sempre envolvidos com problemas emocionais. Só depois de viver e de sofrer é que percebemos que conquistar qualquer um destes reinos não nos traz a esperada felicidade: precisamos dos dois. Mas, quando isto é compreendido, já chegamos a maturidade; já temos hábitos de vida difíceis de mudar; já direcionamos nossa energia – ou nossa capacidade de produzir trabalho – para fazer um patrimônio interno ou externo. Quando passamos a vida correndo atrás de criatividade não temos energia para correr atrás de dinheiro. E vice-versa.


Como o mundo físico é o único que podemos conhecer, este mundo veio sendo organizado ao longo dos tempos e temos leis para regular nossas necessidades de energia material. Embora se saiba que precisamos de alimento para sobreviver, não podemos sair por aí arrancando o sanduíche das mãos de alguém só porque estamos cm fome: existem regras para obter a nossa energia de Terra.


Mas também temos necessidades no plano da Água. Também temos fome de carinho, amor, aprovação. E, neste plano, não existem juízes, tribunais ou sindicatos: é cada um por si. Existe uma ética, é claro. Mas não existem leis, portanto não existem penalidades.


No plano material não podemos ferir ou matar alguém porque vamos responder a um processo. No plano emocional ferimos e somos feridos, matamos e somos mortos e não há leis que nos protejam.


Temos tendência a valorizar o plano físico porque os sofrimentos do corpo são visíveis; mas a miséria da alma causa tanto sofrimento quanto a miséria do corpo. Se não fosse assim, pessoas ricas não se suicidavam. Precisamos estar minimamente equilibrados em todos os planos para poder sobreviver.




Temos nossos pais no Céu. E estas entidades protetoras não são escolhidas pela nossa devoção. Um casal de deuses se apresenta a cada ser, no momento do nascimento, e passa a tutelá-lo.


Os sacerdotes antigos mapeavam o céu, isto é, faziam o mapa astral do instante dos nascimentos, para descobrir os deuses que estavam presentes. Tudo que existe e tem um nome possui deuses tutelares – um indivíduo, um império, uma obra de arte. Eles é que nos escolhem.


O ser que nasce vai ser mais ligado ao deus pai ou à deusa mãe: apensa um vai educá-lo e conduzi-lo na vida, o outro entrará como auxiliar da criação. E assim como na Terra, também sofrerá a influência de outros deuses, como sofremos de parentes, vizinhos, amigos e etc. Misturamos deuses dentro de nós e somos produto de uma alquimia divina.


Conhecer nossa “família” é o primeiro passo para usar nossa herança de maneira responsável. Herdamos talentos – para agir e reagir – o que fazemos com eles? (O Mapa Natal ou Astral nos confere essas informações)


Só podemos atuar no mundo através de nossa energia “ativa”. O Ar e o Fogo mostram o funcionamento de nossa mente: o Fogo, a mente impulsiva, intuitiva; o Ar, a mente lógica, intelectual. Se conseguirmos – de maneira consciente – utilizar estas duas fontes de conhecimento, teremos um funcionamento mental superior, portanto, uma atuação muito mais abrangente.






ATENÇÃO: Além de serem definições resumidas, aqui estão descritos o tipo PURO do elemento e este tipo não existe. Pois que, imaginemos uma pessoa que tenha o elemento FOGO bem marcado no Mapa, mas tenha a Lua em Gêmeos, por exemplo, daí não vamos ter uma pessoa com dificuldade de comunicação, muito pelo contrário. Esse e outros fatores do Mapa é que vão dizer. Dito isto, seguimos...

  

Como EMITIMOS energia para o mundo


Os Filhos do Fogo – A energia do Fogo é competitiva, original, individualista, rápida nas decisões; impaciente, não sabe ouvir. Sua característica é a explosão: podemos ver esta maneira de ser atuando nos atletas. É a ideal para iniciar ciclos e projetos, confere fé, entusiasmo e raramente se cansa. É movida a desafios e compete para ganhar.


O elemento Fogo simboliza o nosso lado instintivo: a pessoa de Fogo sabe sem nunca ter aprendido, sabe por instinto, por isso sabe o que quer. Capta as situações de maneira global e não se fixa em detalhes. Não é bom comunicador, nem faz amigos com facilidade; não é uma pessoa de palavras, é uma pessoa de ação. Gosta mais de atividades físicas do que de atividades intelectuais. Executa suas tarefas com rapidez e age primeiro para depois pensar.

Não têm necessidade de outras pessoas. Pode ser muito supersticiosa.


Os signos de FOGO são: Áries, Leão e Sagitário.



Desequilíbrios:


Fogo demais – Pode tornar a pessoa solitária e egocêntrica, aquela que não se preocupa com os outros e atrai situações violentas. Tem tendência a acidentes e dores de cabeça. Um impulsivo que, frequentemente, se arrepende do que fez. Ou um místico, em busca de iluminação.


Fogo de menos – Cai no extremo oposto, que é o Ar.




Os Filhos do Ar – A energia do Ar é colaboradora; gosta de fazer parte de um grupo; é paciente. Ouve todos os lados com isenção, característica dos bons comunicadores. Trabalha melhor em equipe. Sente-se estimulada pela colaboração, jamais pela competição.


O elemento Ar simboliza a nossa inteligência, a nossa mente racional. Quando o Ar é dominante, a pessoa pensa sem parar. Percebe primeiro o detalhe, depois o todo. Tem muita curiosidade, está sempre tentando aprender algo novo, mas muda de interesses com rapidez e tem dificuldade em se fixar em um só campo do conhecimento. Pondera muito, pesa prós e contras antes de decidir; as decisões demoram porque sempre pode aparecer uma nova informação para modificar o quadro: não usa a intuição. Primeiro pensa, depois age. Preza, acima de tudo, a própria liberdade; odeia injustiças; possui mente verbal. Normalmente, se arrepende do que não fez.


Os signos de AR são: Gêmeos, Libra e Aquário


Desequilíbrios:


Ar demais – Pode tornar a pessoa um obcecado por informação e conhecimento. Um teórico que precisa compreender tanto a vida que as oportunidades passam sem que ele perceba e esquece-se de viver. Um aéreo que pensa, fala, mas não age.


Ar de menos – Cai no extremo oposto, que é o Fogo.





Como RECEBEMOS Energia do Mundo



O mundo só pode nos dar o que estivermos abertos para receber. A Água e a Terra simbolizam de que maneira esperamos que o mundo recompense os nossos esforços: a Terra espera uma remuneração real – dinheiro ou poder. A Água uma remuneração abstrata – amor, inspiração, talentos. E só pode ser colhido o que é semeado.

Se conseguirmos as duas formas de colheita, teremos a abundância.


Os Filhos da Água – A energia da Água é sensível e pouco prática. É criativa. Promove a expansão acelerada dos projetos. Tem excelente memória. É caseira, ligada a família e aos amigos. Responde bem quando apelam para seu patrimônio ou lealdade.

O elemento Água simboliza as nossas emoções. A pessoa de Água reage aos estímulos de maneira emocional: primeiro responde através da emoção, depois através da ação; até suas doenças são mais psicológicas do que físicas. Obviamente, é sentimental. Acredita em milagres, às vezes os provoca. Pode passar a vida sem perceber a realidade que a cerca – funciona no plano astral, não no real. Tem mais necessidade de consumo emocional do que material: precisam de música, livros, cinema, teatro e tudo que as façam sonhar e escapar à realidade. Tem senso estético. Gasta seu dinheiro em bares, restaurantes ou lugares onde possa encontrar pessoas e ilusões. Não consegue dar limites: o que é seu é de todos.


Os signos de ÁGUA são: Câncer, Escorpião e Peixes.


Desequilíbrios:


Água demais – A pessoa não consegue firmar os pés no chão. Preocupa-se demais com sentimentos próprios e alheios e deixa de lado a vida prática. Qualquer perda emocional pode ser catastrófica. Poderão envelhecer cercados de uma grande família, muitos amigos e ser um peso material para todos. É o tipo pródigo. Não liga para dinheiro, portanto não aprende a usá-lo com sensatez.


Água de menos – Cai no extremo oposto, que é a Terra.



Os Filhos da Terra – A energia da Terra é prática, tenaz, empreendedora, responsável, econômica. Suas principais características são a organização e a perseverança. Organiza bem: o tempo, metas, contas, prioridades; e não desiste nunca. É disciplinada. É a energia dos realizadores – sabe dar forma e limites.


O elemento Terra simboliza o nosso corpo físico, os nossos cinco sentidos. A pessoa de Terra percebe o mundo através da sua visão, seu tato, olfato, audição e paladar; percebe primeiro a matéria, portanto, é sensorial e “sensata”. Suas reações são sempre objetivas e não emocionais. Não confia em milagres, acredita no trabalho duro e aceita responsabilidades que os outros recusam; vive na realidade e realiza o que se propõe. Precisam de ordem, horários, uma rotina de trabalho e uma lista clara de direitos e deveres. Gosta das boas coisas da vida, consome produtos de qualidade e sabe se dar prazeres.


Os signos de TERRA são: Touro, Virgem e Capricórnio



Desequilíbrios:



Terra demais – A pessoa valoriza, acima de tudo, a realização. Preocupa-se excessivamente com o sucesso e esquece os sentimentos, podendo tornar-se seca e solitária. Acredita que tudo tem um preço. Tende a achar que seu modelo de atuação é um exemplo para todo mundo. Vive com medo de perder o próprio status para outro mais eficiente.


Terra de menos – Cai no extremo oposto, que é a Água.




Usamos todos os dias, os Quatro Poderes (Quatro Elementos). Mas só dois serão os “nossos”. E isto também não quer dizer usá-los com maior sabedoria, significa apenas usá-los com mais freqüência.




Existem esquemas básicos para balancear energias opostas – maneiras de obter um equilíbrio mínimo no cotidiano, alterando alguns hábitos ou introduzindo outros.


Pessoas de FOGO – Muito impulsivas, não devem comer carne vermelha; e é bom forrar os travesseiros de azul, para evitar dores de cabeça.


Pessoas de AR – Devem procurar contato com a água para sentir mais as situações, em vez de analisá-las; necessitam de Sol e de exercícios físicos.


Pessoas de TERRA – Devem desperdiçar um pouco do seu tempo; usar jóias de prata; convidar outras à sua casa; ler poesia.


Pessoas de ÁGUA – Precisa jogar coisas velhas fora e abrir espaço para o novo; usar cores claras, acordar mais cedo e sair pela manhã.

Mas seguir esquemas ou procurar receitas alheias é abrir mão do próprio discernimento: Crie as suas fórmulas. Você sabe, melhor do que ninguém, o que precisa alterar na sua vida.




A base da vida material é o 4. São os quatro elementos – comuns à Natureza e a você – que se associam para criar a vida: cada ser vivo é o resultado de uma mistura única destes quatro elementos básicos.


Hoje, com a decifração do genoma humano, a ciência nos informa que a base química da vida são quatro elementos que se combinam em bilhões de possibilidades diferentes; e nossa saúde ou nossas doenças – físicas, mentais e emocionais – dependem de como os quatro componentes fundamentais do DNA (adenina, tinina, citosina e guanina) se reúnem dentro de nós. As tradições herméticas dizem isto há milênios e não poderia ser de outra maneira: a trindade pertence ao reino dos céus, o quaternário ao espírito encarnado, dotado de um corpo material.

Se a base é química, podemos fazer uma alquimia: podemos ordenar estes quatro elementos de maneira diferente e nos transformar. É isso que as tradições nos dizem, há muitos séculos. Talvez seja o que a ciência comece a nos dizer, a partir deste século.





Assim, aos poucos – procurando adquirir o que falta e dando a justa medida ao que é excessivo -, vai se aperfeiçoando. Leva tempo.
Os “ingredientes” são conhecidos, desde a mais remota antiguidade.
A proporção é uma Descoberta Individual.





OS QUATRO ELEMENTOS



1. Fogo: signos de Áries, Leão e Sagitário


Representa o desejo e as energias criativas.


2. Terra: signos de Touro, Virgem e Capricórnio


Representa recursos materiais, o meio ambiente e as posses e os valores.


3. Ar: signos de Gêmeos, Libra e Aquário


Representa o intelecto, a habilidade de raciocinar e de se comunicar.


4. Água: signos de Câncer, Escorpião e Peixes


Representa os sentimentos, as emoções e a capacidade de amar.




A PRESENÇA E A AUSÊNCIA DOS QUATRO ELEMENTOS



FOGO


1. A falta do elemento Fogo


O Fogo representa a força-motriz da energia corporal, a capacidade de produzir calor, o metabolismo que produz energia. As qualidades do Fogo são o aquecimento, a expansão, a vermelhidão, o movimento para cima e a ativação. Na redução do fogo corporal, teremos um indivíduo introvertido, que fala pouco, friorento, pálido, cansado. Poderá faltar ânimo, entusiasmo, otimismo e a pessoa terá muito pouca autoconfiança. Predominam emoções como tristeza e falta de alegria de viver. Haverá uma tendência ao estado de ânimo depressivo, ao desinteresse, à falta de coragem, à introspecção e à falta de senso de humor.


Haverá também tendência a ficar remoendo os fatos depois que estes já foram superados.


A redução do elemento Fogo na área da pelve afeta principalmente a libido e a potência masculina. A pessoa em geral urina muitas vezes e a urina é clara. Pode ter fraqueza e edema nas pernas. A redução do Fogo na área do abdome afeta a digestão, que é lenta e difícil. Em geral, a pessoa come pouco e pode se sentir cheia com pouca comida. Os sintomas costumam piorar com comida fria, e as fezes podem ser pastosas ou semilíquidas. A redução do Fogo no tórax afeta principalmente o coração, que é regido por este elemento. A pessoa tende a dormir muito, é deprimida e pode ter doença coronariana com o passar do tempo e com influências "frias".


Terapia recomendada: o exercício físico vigoroso tende a estimular a energia e é altamente recomendado para esse tipo de pessoa. O exercício esquenta o organismo. Tudo deverá ser feito com moderação para que a pessoa não esgote a pouca energia que tem.


2. O exagero do elemento Fogo


O Fogo representa a força-motriz da energia corporal, a capacidade de produzir calor, o metabolismo que produz energia. As qualidades do Fogo são o aquecimento, a expansão, a vermelhidão, o movimento para cima e a ativação. O excesso de Fogo pode existir por dois motivos: falta do elemento Água e este não compensa o Fogo existente, criando um "excesso relativo" (este tipo será discutido no enfraquecimento do elemento Água), ou influências do Fogo verdadeiramente abundantes, configurando o "excesso verdadeiro". Este tipo de pessoa é hiperativa, eufórica e, às vezes, irritável, tem a face vermelha e é calorenta. Predominam emoções como a comicidade, o alto nível de segurança e a coragem. O exagero do elemento Fogo na pelve gera um aumento forte da libido e do desejo sexual. Em geral, o Fogo, assim como os excessos sexuais, agride a mucosa dos órgãos genitais, sendo comum problemas como corrimentos, vaginites, uretrites e infecções urinárias. No abdome, o Fogo excita as energias do fígado e do estômago, causando gastrites, hepatites, azia, úlcera e sangramentos digestivos. O Fogo resseca as fezes e a pessoa tem tendência à constipação, quadro que piora com alimentos quentes. Tanto porque o Fogo se movimenta para cima, como porque o coração relaciona-se ao Fogo, este órgão é o mais afetado pelo seu excesso, gerando insônia, loquacidade e temperamento expansivo. Poderá haver uma certa tendência a intensa atividade e inquietação. A impulsividade, o egocentrismo e o desejo de agir podem dar origem a dificuldades nos relacionamentos. Segundo Arroio, são pessoas muito dinâmicas e automotivadas, que iniciam e promovem, com sucesso, empreendimentos novos, projetos e aventuras idealistas. Também exigem tremenda dedicação, coragem e energia.


Há tendência a arritmias, infarto e morte súbita. O excesso de Fogo no coração também se relaciona com doenças mentais.


Terapia recomendada: meditação, ioga, tai chi ou qualquer outra forma de relaxamento, pois essas pessoas tendem a ser por demais ativas, inquietas e impulsivas.



TERRA


1. A falta do elemento Terra


O elemento Terra simboliza a nossa existência material e as suas relações. Por isso, suas propriedades são a materialização, a transformação e a estruturação do corpo. A pessoa carente de Terra tem uma constituição física débil, é apática, tem pouca memória, a pele é amarelada, a barriga é grande, mas as pernas são finas por conta de uma musculatura atrofiada. Para estas pessoas, haverá dificuldade de estar sintonizada com o mundo material e com as coisas práticas, com o corpo ou com as limitações e as exigências para a sobrevivência no plano material. As necessidades físicas parecem ser bastante secundárias.


Predominam emoções, tais como a falta de concentração, a indiferença, a angústia e a tristeza. A falta de Terra na pelve causa fraqueza nas pernas, e tendência ao prolapso do útero, reto ou até rim (ptose renal) ou bexiga caídos. O pâncreas e o estômago são os órgãos mais afetados pela fraqueza da Terra, causando digestão lenta, alimentos mal digeridos nas fezes, desejo de doces, perda do paladar, apetite diminuído e tendência ao diabetes. A pessoa com falta de Terra tem também o baço afetado, pode ter esplenomegalia (aumento do baço) e redução das defesas imunológicas. No tórax, o enfraquecimento do elemento Terra vai causar resfriados freqüentes, tendência a muco nas vias aéreas, problemas alérgicos, falta de ar e respiração curta.


Terapia recomendada: beber água de moringa, pisar descalço em jardins, fazer qualquer tipo de atividade que utilize barro ou terra (jardinagem, trabalhos manuais com barro, cerâmica ou outro material), cultivar um horário regular de alimentação, exercitar-se com moderação e ter repouso suficiente, aceitar suas limitações.


2. O exagero do elemento Terra


O elemento Terra simboliza a nossa existência material e as suas relações. Por isso, suas propriedades são a materialização, a transformação e a estruturação do corpo. O exagero do elemento Terra causa excessos materiais no corpo. A pessoa costuma ser obesa ou estar acima do seu peso corporal ideal, sente peso no corpo, se movimenta com dificuldade e lentamente, o apetite é exagerado, a face é redonda e o raciocínio lento. Estas pessoas tendem a confiar demais nas coisas conforme elas parecem ser. É daquele tipo de pessoa que só acredita vendo. É prática, materialista, falta nela imaginação e mudanças imprevistas a deixam insegura.


Predominam emoções como a obsessão, a preocupação, a ansiedade, a angústia e a mágoa. O excesso de elemento Terra na pelve causa tendência a cálculos urinários, a corrimentos abundantes e crônicos, a miomas uterinos e cistos ovarianos nas mulheres, ou prostatites e adenoma de próstata nos homens. 0 excesso de Terra afeta muito o pâncreas, o baço e o estômago. A pessoa em geral come muito e tem um estômago dilatado, gerando sintomas como mau hálito, regurgitação, vômitos, náuseas e flatulência. A digestão é muito demorada e as fezes são pastosas. Pode haver tendência ao aumento do baço e diabetes do obeso. No tórax, o exagero do elemento Terra afeta particularmente o pulmão, gerando muito muco respiratório, tendência a sinusite e bronquite, falta de ar e catarro crônico no peito.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.



AR


1. A falta do elemento Ar


O Ar simboliza os movimentos do corpo, ou seja, a cinética corporal decorrente da energia do Fogo. As características do Ar são a movimentação, o deslocamento para cima, a invasão e a ativação. A pessoa com pouca ênfase no elemento Ar tem uma obstrução nos movimentos da energia corporal. São pessoas eternamente deprimidas e mal-humoradas, rígidas, tensas, com muitas linhas de expressão no rosto, pele esverdeada e com tendência a tumores. Predominam emoções como timidez, falta de coragem, indecisão e inveja. Estas pessoas não possuem muita capacidade de percepção, de reflexão e de análise, inclusive sobre si mesmas. Pensam pouco antes de agir, têm dificuldade de se adaptar a novas idéias. O raciocínio fica um pouco prejudicado, assim como o sistema nervoso. Apresentam problemas psicossomáticos.


A falta do elemento Ar na pelve gera obstrução ao fluxo menstrual, causando cólicas e irregularidades menstruais, amenorréia, miomas e câncer do útero. No homem, há tendência a inflamações ou tumores dos testículos. Nesta região a articulação do quadril costuma ser afetada. Como o Ar tem relação com o movimento de todas as articulações, a fraqueza do elemento Ar pode refletir-se em enfermidades que causam redução da mobilidade articular, como problemas de reumatismo ou neurológicos. No abdome, o Ar em insuficiência leva a dificuldades para o movimento do bolo alimentar. A pessoa tem muitos gases e estes ficam presos, a barriga fica dilatada, pode haver constipação, a digestão é lenta, sendo estes sintomas desencadeados por problemas emocionais. O fígado é o órgão mais afetado, gerando intolerância a gorduras, gosto amargo na boca e necessidade de comidas picantes ou ácidas. Outros problemas que podem ocorrer são hepatites crônicas, cirrose e aumento do fígado e do baço. No tórax, os movimentos do pulmão e do coração ficam dificultados, gerando arritmias cardíacas (principalmente extra-sístoles), respiração entrecortada e suspiros freqüentes. São comuns casos de histeria, como falsas convulsões e perda dos movimentos por problemas psíquicos, além de casos sérios de depressão. Os olhos podem ser afetados por diversas doenças.


Terapia recomendada: estar sempre em locais ventilados, fazer exercícios respiratórios.


2. O exagero do elemento Ar


O Ar simboliza os movimentos do corpo, ou seja, a cinética corporal decorrente da energia do Fogo. As características do Ar são a movimentação, o deslocamento para cima, a invasão e a ativação. Como o Ar causa um forte movimento para cima, os sintomas do seu excesso costumam ocorrer no alto do corpo. São pessoas muito ativas mentalmente, irritadas, podem ter temperamento explosivo, pensam demais, "vivem dentro da sua cabeça" sem chegar a muitos resultados concretos. Têm tendência a fugir da realidade, para um mundo de imaginação. Podem ficar também descontactadas com seu corpo. O sistema nervosoé altamente ativado e extremamente sensível, esgotam a sua energia nervosa muito depressa.


Agitadas, face avermelhada, corpo esguio, músculos bem delineados. Predominam emoções como raiva, estresse e egoísmo. Têm tendência a vícios como o álcool e o tabaco. O excesso do elemento Ar não costuma acometer a pelve, manifestando-se apenas na genitália como herpes ou eczemas com coceira intensa. No abdome, o Ar em excesso gera alterações no fígado e no estômago, tais como hepatites agudas e úlcera gástrica ou duodenal. No tórax, pode gerar aumento da pressão arterial, arritmias atriais agudas (taquicardia supraventricular ou fibrilação atrial) e, às vezes, problemas no pulmão como abscessos. Os problemas causados por exagero de elemento Ar em geral se concentram na cabeça e no sistema nervoso. Doenças que causem convulsões como epilepsia, tumores no cérebro, alterações do cerebelo, acidente vascular cerebral e esclerose múltipla são exemplos comuns. Os problemas na cabeça também se refletem em enxaqueca, dores de cabeça freqüentes, tonteiras, zumbidos nos ouvidos, labirintite e alterações mentais. Problemas nos olhos, tais como conjuntivites, perda súbita da visão, glaucoma e descolamento de retina, e alguns problemas do sistema nervoso periférico como zoster, neuralgia intercostal e neuralgia do trigêmeo também são relacionados a este tipo de desequilíbrio.


Terapia recomendada: ioga, exercícios leves ou exercícios em que não se tenha tempo para pensar (jogos de tênis ousq uas h, esgrima). Mudar periodicamente de atividades e deveres ou de cenário para não se exaurir com a repetição das preocupações. Ficar algum tempo sozinho para que o sistema nervoso possa se recarregar.


ÁGUA


1. A falta do elemento Água


A Água é a fonte da vida. Foi dentro da Água do mar paleozóico, há milhares de anos, que surgiu a vida. Por isso, o elemento Água simboliza a essência dos organismos vivos. A Água também tem um papel importante de oposição ao Fogo, que nos seres vivos se reflete no controle do Fogo para manutenção do equilíbrio das funções corporais. As características do elemento Água são, portanto, o resfriamento, a inércia, o movimento para baixo e a contenção. A falta do elemento Água causa uma ativação do Fogo corporal por falta de controle. O nativo tem uma febrícula, pode ser agitado, sente calor nos pés e tem tendência a emagrecer. Isso pode ser observado em doenças consuntivas como AIDS, tuberculose e micoses profundas. São pessoas de constituição corporal frágil, bastante magras (mesmo que algumas se alimentem bem), com um flush malar e olheira acentuada. Predominam emoções como o medo, a falta de confiança e a falta de força de vontade. Possuem dificuldade de sentir empatia e compaixão, assim como para se colocar em contato com os seus próprios sentimentos e necessidades emocionais. Costumam ser frias, desapaixonadas e insensíveis aos sentimentos dos outros, negando também sua própria natureza emocional. Têm medo de sentir dor e desprezam suas necessidades emocionais. Possuem também muita desconfiança no conhecimento intuitivo e em si mesma.


A falta de Água se reflete numa deficiência de líquidos no corpo, por isso estas pessoas têm bastante sede, boca seca, pele seca, fezes ressecadas e urinam pouca quantidade de urina concentrada. Como se relaciona com a essência da vida, o elemento Água tem ligação com o DNA e o núcleo das células; logo, deficiências do elemento Água se relacionam com doenças hereditárias e alterações cromossômicas como o mongolismo. A essência também se relaciona com as medulas, óssea e espinhal. Sendo assim, doenças relacionadas à medula óssea, tais como aplasia medular, pancitopeia e leucopenia, e à medula espinhal, como esclerose lateral amiotrófica, e a prolongamentos de células da medula, como as polineuropatias periféricas, ocorrem num contexto de enfraquecimento do elemento Água. A essência fraca também causa infertilidade ou dificuldade para reproduzir. A Água enfraquecida na pelve dificulta o rim a conter os componentes essenciais no corpo, causando sintomas como incontinência urinária, sudorese noturna e perdas seminais. A Água relaciona-se muito com o rim e com o metabolismo dos ossos. Com isso, a coluna fica afetada, com tendência a dores e osteoporose. A falta da Água no abdome dificulta o umedecimento das fezes, ressecando-as. As funções do fígado podem também ser afetadas, causando dores de cabeça e gosto amargo na boca. A ausência do elemento Água no tórax pode afetar o coração e o pulmão. No coração, causará aceleração e tendência a insônia; no pulmão, tosse seca e hemoptóicos.


Terapia recomendada: beber muita água, fazer atividades dentro d'água (natação, hidroginástica, pesca submarina).


2. O exagero do elemento Água


A Água é a fonte da vida. Foi dentro da Água do mar paleozóico, há milhares de anos, que surgiu a vida. Por isso, o elemento Água simboliza a essência dos organismos vivos. A Água também tem um papel importante de oposição ao Fogo, que nos seres vivos se reflete no controle do Fogo para manutenção do equilíbrio das funções corporais. As características do elemento Água são, portanto, o resfriamento, a inércia, o movimento para baixo e a contenção. Quando a Água é excessiva, tende a obstruir a expressão do Fogo, causando uma desaceleração do corpo. Como a Água se desloca para baixo, os sintomas também se concentram na parte baixa do corpo. O exagero do elemento Água provoca acúmulo de água no corpo, que surge sob a forma de edemas, principalmente dos pés. São pessoas baixas, com uma face pequena e pouca expressão facial. São pouco comunicativas, e as emoções predominantes variam muito, mas em geral não são expressas, aparentam não sentir e podem ser dissimuladas. São pessoas muito imaginativas, intuitivas e sensíveis, que se impressionam com facilidade, com tendência a se emocionar de forma incontrolável. São compulsivas e motivadas principalmente por anseios profundos e por insegurança.


O excesso do elemento Água na pelve obstrui o rim, podendo causar insuficiência renal ou retenção de urina. A eliminação das fezes pode ser prejudicada, com períodos de constipação alternados com descargas fecais aquosas. Se não há ainda obstrução ao fluxo de urina, o volume urinário é grande e a urina é clara, devido ao excesso de líquidos. A grande quantidade de Água no abdome prejudica as funções digestivas e a pessoa não tem fome. A digestão é lenta e é comum regurgrtação de fluidos claros e fezes pastosas. Pode haver ascite ou sensação de fluido na barriga, e a pessoa costuma ter pouca sede. Água em excesso no tórax afeta o pulmão e o coração. No pulmão, pode causar edema pulmonar ou hidrotórax; no coração, "apaga seu Fogo", causando insuficiência cardíaca e lesões das válvulas do coração.


Terapia recomendada: ingerir ervas diuréticas, utilizar as terapias para quando o elemento que está faltando.





DISTRIBUIÇÃO B COMBINAÇÃO DOS QUATRO ELEMENTOS



Muitos pontos em signos de Água e Terra e falta de Ar e Fogo


Água e Terra pertencem ao Yin, e Ar e Fogo pertencem ao Yang. Assim, neste caso, há predominância de valores Yin sobre os valores Yang. As características do Yin são a inércia, a introspecção, a matéria, o frio, a escuridão e a feminilidade. Então, aqui temos pessoas pouco comunicativas, materialistas, preocupadas com a sobrevivência e a segurança, costumam sentir a vida como um peso. São motivadas principalmente pelos sentimentos, por temores, por hábitos e condicionamentos do passado, por necessidades de segurança e, assim, se apegam demasiadamente ao passado com medo do presente e do futuro.


Estas pessoas têm peso corporal excessivo, quadris largos, são baixas e pálidas.


Os homens podem ser pouco masculinos. O Yin predispõe a um temperamento fácil, conciliador, suave e afetuoso, se bem que estas pessoas não manifestem suas emoções. A conjunção de energias da Água e da Terra concentra-se na parte baixa do corpo e afeta especialmente o pâncreas, o baço e o rim. Assim, são comuns doenças como diabetes, nefrites crônicas, enterites crônicas, insuficiência do pâncreas e doenças causadas por acúmulo de substâncias no corpo, como a amiloidose e o hipotireoidismo.


 Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.


Muitos pontos em signos de Ar e Fogo, falta de Terra e Água



Água e Terra pertencem ao Yin, e Ar e Fogo pertencem ao Yang. Neste caso, existe falta de Yin e excesso de Yang. O Yang em excesso se caracteriza por calor, luminosidade, movimentação, expansão, masculinidade, imaterialidade e masculinidade. Então, estas são pessoas comunicativas e falantes, extrovertidas e têm uma mente brilhante e cheia de idéias. Podem ser precipitadas. As mulheres podem ser pouco femininas. Tendem a ser criativas, idealistas, otimistas, alegres, possuem senso de humor mas são pouco realistas. Possuem habilidade para colocar suas próprias idéias em ação e têm capacidade para conquistar uma perspectiva sobre o significado e as implicações das suas próprias ações. Fazem planos com a habilidade e a energia para executá-los, mas não são suficientemente práticas.


São pessoas com cabeça grande, face vermelha e muito expressiva. O excesso de Yang se caracteriza pelas doenças do fogo ou do vento. São doenças do coração como infarto, pressão alta, ou até problemas mentais. O pulmão pode ser afetado por problemas súbitos como embolia pulmonar ou pneumotórax.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.




Combinação Ar/Água



O Ar pertence ao Yang e a Água pertence ao Yin. Por isso, esta é uma combinação considerada mais equilibrada. Mesmo assim há a falta dos outros elementos. O Ar e a Água dão movimento e hidratam o corpo, mas há falta dos elementos produtores de energia, a Terra e o Fogo. Com isso, predominam os problemas de falta de energia. A falta de energia no rim causa dores e fraqueza na região lombar e problemas urinários. A falta de energia no baço e no pâncreas causa diarréia crônica. A falta de energia no pulmão causa falta de ar e asma. Esta é uma combinação que faz a pessoa ser muito sensível e ter tendência a oscilar entre pensamento e emoção, com afinidade tanto com o mundo abstrato quanto com o mundo sensível-intuitivo. Entende com muita clareza seus sentimentos e necessidades. Pode possuir uma imaginação fértil e capacidade criativa.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.


 Combinação Ar/Terra



Ar e Terra são opostos mas se complementam. Isso gera um sistema equilibrado. O Ar confere espírito e movimento e a Terra confere base e nutrição. A falta da Água gera ressecamento e a falta do Fogo gera pouca ativação da energia vital. Apesar de terem boa saúde em geral, estas pessoas podem ter problemas sexuais, como esterilidade e impotência, diabete e problemas renais.


Este nativo possui capacidade de combinar percepção intelectual e conceituai numa afinação prática com os objetivos concretos. Tem reflexão prévia, imparcialidade, inteligência prática e lógica bastante fria. O impulso ou a emotividade não fazem parte do seu temperamento.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.



Combinação Água/Fogo



Água e Fogo são opostos mas se completam. A Água controla o Fogo e o Fogo aquece a Água. Contudo, falta a nutrição da Terra e o movimento do Ar. São pessoas com distúrbios digestivos crônicos e com problemas hepáticos, caracterizando dificuldade para nutrição associada a uma obstrução da circulação da energia dos alimentos.


Este nativo tende a ser emocional, excitado, impulsivo, sem controle. Muitas vezes há falta de lógica, de pensamento e de procedimentos sistemáticos, cora uma conseqüente intranqüilidade, mudanças de humor e atitudes egoístas. Reflete a respeito de si mesmo e de suas ações.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.



Combinação Terra/Fogo



A Terra pertence ao Yin e o Fogo pertence ao Yang. Então, esta é uma combinação equilibrada. A Terra nutre e o Fogo aquece e ativa. Contudo, há falta de outros elementos, a movimentação fica prejudicada e há pouca Água para controlar o Fogo. A conseqüência é um Fogo descontrolado, gerando pessoas vingativas e capazes de gestos cruéis. Este nativo possui criatividade, com necessidade de colocar em prática sua iniciativa, e capacidade de conservar e dirigir sua vitalidade. A Terra dá ao Fogo mais paciência e disciplina, enquanto o Fogo dá a confiança e a fé espontânea que a Terra não possui.


O coração, o fígado e o pulmão são os órgãos mais afetados. O descontrole favorece o surgimento de tumores nestes órgãos ou, então, miocardiopatias restritivas no caso do coração.


Terapia recomendada: utilizar as terapias para os elementos que estão faltando.



*Extraído do livro: “As Plantas e Os Planetas” - A Utilização das Plantas Medicinais na Astrologia Médica; Ana Bandeira de Carvalho.
















Em breve vou continuar digitando...

4 comentários:

  1. Oi Martha, tinha recebido um e-mail mas achei que era vírus, agora sim entendi. Abraço Cy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somente agora ví esse comentário. Desculpe-me, minha linda.

      Excluir